Corujinha 01
Destaques

      Corujinha 02
Ajuda Humanitária.


      Corujinha 03
Animais.


      Corujinha 04
Artesanato de lixo reciclável.


      Corujinha 05
Casa.


      Corujinha 06
Ciência.


      Corujinha 07
Como Surgiu.


      Corujinha 08
Curiosidades.


      Corujinha 09
Drogas.


      Corujinha 10
Ecologia.


      Corujinha 11
Esportes.


      Corujinha 12
Filmes.


      Corujinha 13
Instrumentos Musicais.



      Corujinha 15
Mamães e Bebês.


      Corujinha 16
Maquiagem.


      Corujinha 17
Mitos e Verdades.


      Corujinha 18
Notícia no Mundo.


      Corujinha 19
Novo acordo Ortográfico.


      Corujinha 20
Paisagismo e Jardinagem.


      Corujinha 21
Pescaria e piscicultura.


      Corujinha 22
Politica.


      Corujinha 23
Primeiros Socorros.


      Corujinha 24
Receitas.


      Corujinha 25
Salve o Planeta e a Biodiversidade!


      Corujinha 26
Saúde.


      Corujinha 27
Sexualidade.


      Corujinha 28
Situações Diárias.


      Corujinha 29
Sociedade.


      Corujinha 30
Tecnologia.


      Corujinha 31
Turismo, Lugares, Viagens.


      Corujinha 32
Universo.


      Corujinha 33
Vida e diversidades.


Como se formam os tornados.

Orçamentos de Laguinhos www.laguinhos.com.br
Monte em instantes o orçamento para seu laguinho.


Filtros Biológicos www.fontesechafarizes.com.br
Veja on-line que custa muito pouco acabar com as algas.


Anti-algas e Anti-Cloro www.filtrouv.com.br
O fim das algas em seu lago.

                                                            

Os tornados e a sua banheira

Se você já viu um redemoinho na sua banheira, pia ou vaso sanitário quando a água está descendo pelo ralo, então já viu os princípios básicos de um tornado em ação. O redemoinho do ralo, também conhecido como turbilhão, se forma por causa da corrente descendente que o ralo cria na massa de água. O fluxo descendente da água no ralo começa a girar e, à medida que a rotação acelera, o turbilhão se forma.

Por que a água começa a rodar? Existem muitas explicações, mas aqui vai uma maneira de pensar a respeito (que por acaso se aplica a buracos negros também). Imagine que você é uma partícula na água e está sendo puxado para baixo pela sucção que o ralo está gerando. Você está acelerando em direção a este ponto de sucção. Entretanto, por causa do momento anterior, o número de outras partículas sendo sugadas para aquele ponto e outros fatores, é possível que você se afaste para um lado do ponto de sucção quando chegar lá. Este desvio coloca-o numa trajetória espiralada dentro do ponto de sucção, como uma mariposa espiralando em direção à luz. Como a espiral começou em uma direção, ela tende a influenciar todas as outras partículas à medida que chegam. Uma tendência espiralar muito forte é gerada. Eventualmente, há energia espiralar suficiente para criar um turbilhão.

Já que você vê redemoinhos na banheira e na pia o tempo todo, é óbvio que se trata de um fenômeno comum. O mesmo tipo de coisa acontece com o tornado, só que com ar em vez de água.

Tornados e tempestades

Com um tornado não há escoamento. Em lugar disso há uma nuvem de tempestade, capaz de acumular uma quantidade enorme de energia. Se as condições estiverem corretas, esta energia cria um imenso movimento de ar ascendente dentro da nuvem. Mas de onde vem a energia?

As nuvens são formadas quando o vapor de água se condensa no ar. Esta alteração no estado físico libera calor e o calor é uma forma de energia. Uma boa parte da energia de uma tempestade é resultado da condensação que forma a nuvem. De acordo com a Encyclopedia Britannica:

Para cada grama de água condensada, cerca de 600 calorias de calor se tornam disponíveis. Quando a água congela na parte superior da nuvem, outras 80 calorias por grama de água são liberados. Esta energia aumenta a temperatura do movimento de ar ascendente e, em parte, é convertida em energia cinética de movimento de ar ascendente e descendente. Se a quantidade de água que é condensada e depois precipita-se da nuvem é conhecida, então o total de energia de uma tempestade pode ser calculada. Em média, uma tempestade de trovões acumula um total de cerca de 10 milhões de quilowatt-hora, o que é equivalente a uma ogiva nuclear de 20 quilotons. Uma tempestade grande e forte poderia ser 10 a 100 vezes mais energética.

Em uma tempestade supercélula, os movimentos de ar ascendentes são particularmente fortes. Se forem fortes o bastante, um turbilhão de ar pode se formar, exatamente como se forma na água em uma pia. Um turbilhão de ar embaixo de uma nuvem de tempestade constitui um tornado.

O tornado desce de uma nuvem de tempestade como uma imensa corda de ar em redemoinho. Ventos com velocidade de 320 a 480 km/h não são incomuns. Se o turbilhão tocar o solo, a velocidade do torvelinho (bem como do movimento de ar ascendente e a diferença de pressão) pode causar enormes estragos.

O tornado segue um trajeto controlado pelo trajeto da sua nuvem de tempestade originária, geralmente parecendo saltar. Os saltos ocorrem quando o turbilhão é perturbado. Você já deve ter visto que é fácil perturbar um redemoinho na banheira, mas daí ele volta a se recompor. A mesma coisa pode acontecer com o do tornado, fazendo com que se forme e se desfaça ao longo do caminho.

Por: Marshall Brain.
Ana Paula e Equipe Manja de Tudo.

Orçamentos de Laguinhos www.laguinhos.com.br
Monte em instantes o orçamento para seu laguinho.


Filtros Biológicos www.fontesechafarizes.com.br
Veja on-line que custa muito pouco acabar com as algas.


Anti-algas e Anti-Cloro www.filtrouv.com.br
O fim das algas em seu lago.


    
   © 2011 Manja de Tudo.     www.manjadetudo.com.br.     Contribua conosco enviando sua dica, pergunta ou sugestão aqui.