Corujinha 01
Destaques

      Corujinha 02
Ajuda Humanitária.


      Corujinha 03
Animais.


      Corujinha 04
Artesanato de lixo reciclável.


      Corujinha 05
Casa.


      Corujinha 06
Ciência.


      Corujinha 07
Como Surgiu.


      Corujinha 08
Curiosidades.


      Corujinha 09
Drogas.


      Corujinha 10
Ecologia.


      Corujinha 11
Esportes.


      Corujinha 12
Filmes.


      Corujinha 13
Instrumentos Musicais.



      Corujinha 15
Mamães e Bebês.


      Corujinha 16
Maquiagem.


      Corujinha 17
Mitos e Verdades.


      Corujinha 18
Notícia no Mundo.


      Corujinha 19
Novo acordo Ortográfico.


      Corujinha 20
Paisagismo e Jardinagem.


      Corujinha 21
Pescaria e piscicultura.


      Corujinha 22
Politica.


      Corujinha 23
Primeiros Socorros.


      Corujinha 24
Receitas.


      Corujinha 25
Salve o Planeta e a Biodiversidade!


      Corujinha 26
Saúde.


      Corujinha 27
Sexualidade.


      Corujinha 28
Situações Diárias.


      Corujinha 29
Sociedade.


      Corujinha 30
Tecnologia.


      Corujinha 31
Turismo, Lugares, Viagens.


      Corujinha 32
Universo.


      Corujinha 33
Vida e diversidades.


Oceano espécies a desvendar.

Orçamentos de Laguinhos www.laguinhos.com.br
Monte em instantes o orçamento para seu laguinho.


Filtros Biológicos www.fontesechafarizes.com.br
Veja on-line que custa muito pouco acabar com as algas.


Anti-algas e Anti-Cloro www.filtrouv.com.br
O fim das algas em seu lago.

                                                           

Desde as bactérias às baleias, raros são os grandes grupos de organismos que não têm algum representante marinho. Dentre os animais, por exemplo, dos 33 filos (grandes grupos) reconhecidos, 15 são exclusivamente marinhos, como os equinodermas - grupo das estrelas-do-mar-; 5 são predominantemente marinhos, como o grupo das esponjas ou dos corais e anêmonas; 9 têm boa representatividade no mar; e 3 têm raras espécies marinhas. Em contraste, apenas 11 dos filos são majoritariamente terrestres, sendo apenas um exclusivo.

Em ambientes marinhos, que por serem de acesso mais difícil que os terrestres possuem vastas regiões ainda inexploradas, as surpresas com novas espécies são grandes. No ano de 1900, por exemplo, foram encontrados ao largo da Indonésia alguns animais de águas profundas que não se encaixavam em nenhuma forma zoológica até então conhecida e foi preciso criar um novo filo para abrigar esses organismos: os pogonóforos 

                                                                

Em 1938, coletou-se acidentalmente nas águas do Oceano Índico, ao largo da África do Sul, o que alguns consideraram o achado zoológico do século: o Celacanto, uma espécie de peixe que se pensava extinto desde a época dos dinossauros, um verdadeiro fóssil vivo.

E ainda mais recentemente, em 1977, ao vasculhar o assoalho submarino, foram descobertos não apenas novos organismos, mas um ecossistema inteiro com características quase alienígenas, vivendo em escuridão quase total (só não podemos dizer total porque vez ou outra faísca uma luz tênue dos animais bioluminescentes), pressão de centenas de atmosferas, vulcanismo intenso, ambiente saturado de compostos de enxofre, jatos d´água sob pressão a 400 graus Celsius circundada por águas geladas. E habitando esses estranhos ambientes das fumarolas submarinas ou fontes hidrotermais, existem estranhíssimos animais sem boca, sem intestino, sem ânus e que, no entanto, podem atingir até 1,5 metro de comprimento, como os pogonóforos vestimentíferos.

E mais impressionante ainda: esse ecossistema funciona independentemente da luz solar. É que, diferentemente do que ocorre em terra firme e na parte iluminada do mar, onde a base da produção biológica está na fotossíntese dos organismos clorofilados, nesses locais profundos, a vida está na dependência direta de certas bactérias que realizam a quimiossíntese, ou seja, são capazes de utilizar os compostos de enxofre de onde obtêm energia e matéria para a síntese biológica e a subsequente manutenção do ecossistema.

Estudos recentes têm revelado evidências de que essas fumarolas submarinas são muito mais freqüentes do que se pensava, inclusive no Atlântico Sul, dando asas à imaginação de que talvez se possa encontrar outros fósseis vivos ou formas de vida organizadas em modelos ainda desconhecidos pela ciência.

                                                           

Por: www.comciencia.br
Ana Paula e Equipe Manja de Tudo.
Orçamentos de Laguinhos www.laguinhos.com.br
Monte em instantes o orçamento para seu laguinho.


Filtros Biológicos www.fontesechafarizes.com.br
Veja on-line que custa muito pouco acabar com as algas.


Anti-algas e Anti-Cloro www.filtrouv.com.br
O fim das algas em seu lago.


    
   © 2011 Manja de Tudo.     www.manjadetudo.com.br.     Contribua conosco enviando sua dica, pergunta ou sugestão aqui.